O que é o Espiritismo? codificação feita por Allan Kardec

O que é o Espiritismo? codificação feita por Allan Kardec

O “Espiritismo” é um neologismo criado por Allan Kardec, o responsável pela codificação da Doutrina Espírita, nos meados do século XIX, podendo assim ser definido:

“O Espiritismo é uma doutrina filosófica de efeitos religiosos, como qualquer filosofia espiritualista, pelo que forçosamente vai ter às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura. Mas não é uma religião constituída, visto que não tem culto, nem rituais, nem templos. (1)

O Espiritismo se apresenta sob três aspectos: científico, filosófico e reiligoso. Esse tríplice aspecto da Doutrina Espírita ressalta da própria conceituação que lhe dá Allan Kardec:
O Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os Espíritos; como filosofia, ele compreende todas as consequências morais que dimanam dessas mesmas relações. (2)
Assim, o Espiritismo pode ser observado por estas três maneiras diiferentes: O das manifestações, o dos princípios e da filosofia que delas decorrem e o da aplicação desses princípios. Daí, três classes, ou, antes, três graus de adeptos:

1º. Os que crêem nas manifestações e se limitam a comprová-las; para esses, o Espiritismo é uma ciência experimental;
2º. Os que lhe percebem as consequências morais;
3º. Os que praticam ou se esforçam por praticar essa moral.
“Qualquer que seja o ponto de vista, científico ou moral, sob que considerem esses estranhos fenômenos, todos compreendem constituírem eles uma ordem, inteiramente nova, de idéias que surge e da qual não pode deixar de resultar uma profunda modificação no estado da Humanidade e compreendem igualmente que essa modificação não pode deixar de operar-se no sentido do bem.” (3)

Conforme o ensinamento de Kardec, podemos identificar o tríplice aspecto do Espiritismo:

a) Científico – concernente às manifestações dos Espíritos;
b) Filosófico – respeitante aos princípios, inclusive morais, em que se assenta a sua doutrina;
c) Religioso – relativo à aplicação desses princípios.

O que, espirita

De que trata o Espiritismo?
O Espiritismo responde às questões fundamentais de nossa vida, como estas: Quem é você? Antes de nascer, o que você era? Depois da morte, o que você será? Por que você está neste mundo? Por que umas pessoas sofrem mais do que outras? Por que alguns nascem ricos e outros pobres? Por que alguns cegos, aleijados, débeis mentais, etc., enquanto outros nascem inteligentes e saudáveis? Por que Deus permitiria tamanha desigualdade entre seus filhos? Por que há tanta desgraça no mundo e a tristeza supera a alegria? De três pessoas que viajam num veículo, por exemplo, após pavoroso desastre, uma perde a vida, outra fica gravemente ferida e a terceira escapa sem ferimentso. Por que sortes tão diferentes? Onde está nisso a Justiça de Deus? Por que uns, que são maus, sofrem menos que outros, que são bons?

Perguntas como estas a Doutrina Espírita responde, porque tais são as perguntas que todos fazemos para nós mesmos, ao contemplarmos tanta desigualdade e tantos destinos diferentes na vida atribulada de nosso planeta. (4)

Princípios Fundamentais

Os ensinamentos dos Espíritos superiores fundamentam-se em:

· A EXISTÊNCIA DE DEUS: Inteligência Suprema, causa primeira de todas as coisas.

· A IMORTALIDADE DA ALMA: Somos em essência Espíritos, seres inteligentes da Criação. O espírito é o princípio inteligente do Universo.

· A REENCARNAÇÃO: Criado simples e ignorante, o Espírito decide e cria seu próprio destino usando o livre-arbítrio. Seu progresso é consequência das experiências adquiridas em diversas existências, evoluindo constantemente, tanto em inteligência como em moralidade.

· A PLURALIDADE DE MUNDOS HABITADOS: Os diferentes orbes do Univeso constituem as diversas moradas dos Espíritos.

· A COMUNICABILIDADE DOS ESPÍRITOS: Os Espíritos são os seres humanos desencarnados. Através dos médiuns podem comunicar-se com o mundo material.

· A MORAL ESPÍRITA: Baseada no Evangelho de Jesus, é a máxima moral para a vida. (5)

A Codificação Espírita

O desenvolvimento da Codificação Espírita, basicamente, teve início na residência da família Baudin, no ano de 1855. Na casa havia duas jovens que eram médiuns. Tratava-se de Julie e Caroline Baudin, de 14 e 16 anos respectivamente.

Todo o trabalho da nova revelação era revisado várias vezes, para evitar erros ou interpretações duvidosas. As questões mais graves, relativas à Doutrina, eram revisadas com o auxílio de até dez médiuns.

Das perguntas elaboradas aos Espíritos nasceu O Livro dos Espíritos, publicado em 18 de abril de 1857.

Allan Kardec, na etapa de sua vida espírita, dedicou-se intensivamente ao trabalho da expansão e divulgação da Boa Nova. Viajou 693 léguas, visitou 20 cidades e assistiu a mais de 50 reuniões doutrinárias de Espiritismo, na sua viagem pelo interior da França no ano de 1862.

Fundou a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, que se destinaria a estudar, divulgar e explicar a nova doutrina.

Em 1º de janeiro de 1858, o Codificador abraçou uma nova atividade. Inaugura a Revista Espírita, de publicação mensal, cujo objetivo era informar aos adeptos do Espiritismo sobre seu crescimento e debater questões vinculadas às práticas doutrinárias; assim teve início a imprensa espírita. (6)

As 5 obras básicas

as 5 Obras de allan kardec