De passagem / médium – Chico Xavier

De passagem / médium – Chico Xavier

Mensagem psicografada por Chico Xavier, De passagem
Irmão,
Enquanto gemes,
Cresce a erva para curar-te as dores,
E enquanto dormes
A pedra te sustenta a habitação.
Enquanto te desfazes em revolta,
O verme permanece trabalhando,
Submisso ao Senhor,
No preparo do chão para que a vida não cesse.
Enquanto te confias
A impropérios da queixa,
Dispõe-se a gota d’água
A socorrer-te a sede.
Enquanto te enveredas
No labirinto imenso
Da palavra insincera ou do tempo perdido,
O minúsculo grão
Desenvolve-se, humilde,
Para atender-te a fome e ajudar-te o celeiro.
Ao redor de teus passos.
Tudo clama – “que fazes?”
Entretanto,
Guardas ouvidos surdos
E as tuas mão inertes
Rogam, em vão, o amparo
Que deviam por si mesmas,
Enriquecendo o bem para a luz imortal.
Abre o teu coração
À glória da verdade e à fonte do amor
Que dimanam sem termo
Do Coração da Vida.
Para que o Sol Divino
Encontre no teu peito
O instrumento ideal de manifestação,
Porque as bênçãos do corpo
É qual a flor da erva,
Hoje brilhando ao céu, amanhã, semimorta…
E o Pai Justo e Bondoso
Que rege o grão de pó e as estrelas suspensas
Vela, agindo conosco,
Dentro e fora de nós,
Perguntando a nós todos,
Em cessando o minuto:
– “Meu filho, que fizestes?”

Autor: Rodrigues de Abreu
Médium: Chico Xavier