Como conhecer os verdadeiros espíritas

Como conhecer os verdadeiros espíritas

Sendo o Espiritismo, antes de tudo, uma filosofia Religiosa, como conhecer os verdadeiros espíritas?

É justamente dentro da sua bandeira imortalista, demonstrando ao homem que a sua vida não está circunscrita à existência fragmentária da Terra, que o Espiritismo oferece à Humanidade o que possui de mais sublime e mais puro, em sua feição filosófica e doutrinária.

As suas próprias expressões fenomênicas não objetivam outro desiderato que não fosse esse de espalhar as sementes benditas da crença e da esperança. Refundindo os vossos antigos conhecimentos, com respeito aos problemas profundos da vida e do ser, descerra um panorama infinitamente maravilhoso à vossa visão espiritual, integrando-vos no amor ao dever, em suas expressões mais sagradas, compelindo-vos ao progresso moral para a redenção futura. As atividades do homem, portanto, são reformadas ao sopro de suas lições divinas, renovando-se os caracteres, enobrecendo-se as ações dos indivíduos, quando a consciência, de fato, lhe apreende a sublimidade do ensinamento.

Somente poderemos conhecer os espiritistas pela transformação benéfica que procuram impor a si mesmos, em contacto com as lições do Alto que lhes são incessantemente ministradas. Os entendedores legítimos da doutrina não são aqueles que se apaixonam nos círculos esterilizadores das palavras da polêmica mas justamente os que se saturam da tolerância e da serenidade evangélicas, cooperando com o seu esforço para que as leis fraternas da caridade cristã sejam devidamente compreendidas e postas em prática.

Estes últimos, considerados “aqueles de boa vontade” aos quais se refere o Evangelho em suas lições divinas, ignoram se há dogmas e princípios religiosos separando os espíritos na Terra; todos os homens são seus irmãos, necessitados de sua amizade e de seu carinho. E, fechando os olhos para os erros alheios, fazem da existência terrena um apostolado sublime de humildade, caridade e perdão.

Autor: Emmanuel
Médium: Chico xavier
Livro: COLETÂNEAS DO ALÉM